quinta-feira, 29 de outubro de 2015

"DONO DE NINGUÉM" - COMPOSIÇÃO DE IVAN PAULO DA SILVA; GRAVAÇÃO DE ADEMILDE FONSECA EM 1954



* * * * * * * * * * *
Você é meu amor,
Mas não é meu senhor,
Não gosto de ser mandada,
Nem por mal, nem por bem,
Coração é terra que ninguém pisa,
Nem você por ser meu bem,
É dono de ninguém.
Bis

O amor não dá direito de propriedade,
Amor é simplesmente, uma situação,
Que a gente aceita com dignidade,
Enganando quase sempre o nosso coração.

Dou-lhe o meu amor,
Mas não sou toda sua,
Não sou objeto achado na rua,
Tenho mil razões para pensar assim,
Você é meu amor, mas não é dono de mim.

O amor não dá direito de propriedade,
Amor é simplesmente, uma situação,
Que a gente aceita com dignidade,
Enganando quase sempre o nosso coração.

Dou-lhe o meu amor,
Mas não sou toda sua,
Não sou objeto achado na rua,
Tenho mil razões para pensar assim,
Você é meu amor, mas não é dono de mim....

DE ZÉ KETTI, H. ROCHA E NEWTON CHAVES



 DIZ QUE FUI POR AÍ...


Se alguém perguntar por mim,

Diz que fui por aí,

Levando o meu violão debaixo do braço,

Em qualquer esquina eu paro,

Em qualquer botequim eu entro,

E se houver motivo,

É mais um samba que faço,

Se quiserem saber se eu volto,

Diga que sim,

Mas só depois que a saudade,

Se afastar de mim.



Tenho um violão para me acompanhar,

Tenho muitos amigos, eu sou popular,

Tenho a madrugada como companheira,

A saudade me dói, em meu peito me rói,

Eu estou na cidade, eu estou na favela,

Eu estou por aí, sempre pensando nela.